Angioma cerebral ou mal formação artério venosa

São malformações congênitas que são constituídas por artéria ou artérias que se ligam diretamente ao sistema de veias com a interposição de um plexo de vasos malformados ou diretamente a veia (fistula dural) sem interposição de capilares.

Constituem 0,5% a 1% da população, e o sintoma mais frequente é o sangramento, depois convulsão, cefaléia e deficite motor cronico por fenômeno de roubo de fluxo sanguíneo.

O tratamento pode microcirúrgico, endovascular ou combinados, radiocirurgia ou combinados, ou seja pode exigir uma atuação multidisciplinar.

São classificados segundo Spetzeler e Martin de I a V, sendo I e II cirúrgica, III pode ser multidisciplinar , IV dependera do caso, V normalmente sem cirurgia.

A radiocirurgia tem um efeito pleno em 2 anos e pode ser usado em MAVs menores que 3cm. Durante este periodo de espera poderá haver ruptura da MAV com hemorragia. O tratamento endovascular pode se usar Onyx, Glubram e Lipiodol, e pode ser feito em várias sessões, ocluindo os compartimentos da MAV, e as complicações dependerão do número de artérias que nutrem o nidus.